sábado, maio 19, 2007

juro que é mentira

Pra começo de conversa o ensaio não acabou porque, digo e repito, ele nem havia começado.
Foi a vida que disparou numa avalanche deslavada sem freio até aqui. Por enquanto, o céu continua erguido sobre nossas cabeças, e creio pisar no que chamamos de chão.

Costumo acreditar no que dizem as palavras, mas também duvido um pouco que as mesmas existam pra muito além dos sons que tiramos delas. O tempo é também palavra.

Juro que é mentira, o dia não começa nem termina. É tudo mentira, mas por favor acredite na marcação do tempo, ou desista do relógio de uma vez.
Eu se fosse você não faria isso, porque na realidade já o fiz, e perdi a hora. Não que eu tenha me atrasado, repito, não me atrasei. Perdi a hora, nunca mais achei nenhuma pra contar a história. Piso o chão, deito, sento, mas não sei onde encontrar as horas. Posso tê-las enterrado, sem notar, sem suar, sem esforço.

Sinto calor. Pode ser saudade. Talvez seja saúde.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial