terça-feira, abril 14, 2009

o dois é impossível

Alma é estrato. Certo tipo de estrato de perfume tão raro, que só tem um de cada. A alma é liquida, e se o vidrinho quebrar, ela quebra junto. Mas antes do vidrinho quebrar, a alma é gasosa, e sai sempre um pouquinho, quando a menina solta um pum. E cai na risada, como se fosse a maior novidade do mundo.

Ouvi também em tom de novidade, que todo mundo tem uma criança dentro de si. Quem teve infância tem mesmo uma infância dentro de si, que pode até sair pra passear, às vezes. Com ou sem a ajuda da cerveja.

Aquela criança vive tanto, e consegue, sem notar, dar atenção a todos os sentidos, como se todos eles fossem importantes, inclusive o tato.

É tanta imersão no que se vive, quando se é criança, que a melhor maneira de continuar assim é não perder a curiosidade.

Como ia dizendo... o dois é impossível. A cópia não é igual a cópia. Depende da qualidade do monitor, e depende também de quem assiste à tela. Depende da conexão, porque aqui em casa um vídeo de 30 segundos pode muito bem se transformar em um vídeo de 2 minutos (embora um minuto nunca seja igual ao outro).

1 Comentários:

Blogger lourdinha disse...

Fico imprecionada como vc tem uma maneira especial de escrever...
A propósito há cópia perfeita sim vc e Sophia, em outra versão é claro!
Parabens pelo que escreve. Continue, vc vai longe.
beijos minha filha.wee

5/5/09 21:08  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial