domingo, novembro 22, 2009


Dentro do Sonho, o Sonho…

Não sei se é verdade, mas sinto um vento dentro de mim. Parece brisa do mar, só que é dentro, no estômago, ou perto dele. O mundo já foi chato, como uma folha de papel, que ninguém amassou. O tempo tornou a terra redonda. Ela é na verdade elíptica, quase redonda, sempre foi, é o que me disseram. Sobre o mundo, ainda não sei se ele é a Terra, ou se é todo o Universo.

Dentro da Terra, tem muita terra, e gerações de gentes, e árvores para sempre enterradas. Muitas camadas de povos que desapareceram porque, enfim, não conseguiram manter suas crianças vivas, alimentá-las, fazê-las crescer…

Alguém puxa meu pé, e assim, não consigo completar meu raciocínio. Minha perna está dormente. Não vou levantar. Mas que coisa! Deixe meu pé em paz, que ele é de paz, ele só chuta bola de futebol de salão, e mesmo assim no passado. No momento, não quero saber do quanto andei, nem dos calos curados e secos, nem das mãos.
Há um silêncio que não pode ser dito ou não há como trazê-lo à tona em voz e fazer dele história. Há um silêncio que é.




ah, este blogue inspira longamente, então, ele expira... cof cof quanta poeira!

2 Comentários:

Blogger O Fantástico Mundo de Patrício disse...

ju!
q coisa! até pouco tempo atrás eu queria saber por onde vc andava.
depois, (por falta do que fazer), fui pesquisar a vida cibernética de saul e acabei lhe encontrando! e com um blog invocadaço!
gostei e já tow seguindo!
bjs.
mande noticias.

30/11/09 22:22  
Blogger MaIa disse...

remédio pra poeira é camarão,
remédio pra coceira é canção
e pra você, amiga, minnha TERNA SAUDAÇÃO...

Ass. Rubão

P.S. Boas festa e feliz ano novo (e chega de rimas cachorras pra mim) hehehe

18/12/09 12:00  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial